O DIABO EXISTE… Você tem dúvida?

Jesus nunca discutiu o diabo, sua existência, sua origem, seu surto narcisista, sua “queda”; e nem tampouco desvendou segredos do diabo, do mal, ou do modo como os homens e os demônios entram em conluios; não fez diferenciações entre tipos e modos de possessão; não julgou útil dedicar-se a nada disso...

Entretanto, para Ele, o diabo era real, não simbólico, não difuso, não apenas energia, não somente pulsão humana perversa...

O diabo existia... O diabo tentava... O diabo oprimia, possuía, fazia adoecer, matava, roubava, destruía...

Sim, Jesus não disse nada sobre as cogitações impensáveis que teria feito um ser criado em Luz tornar-se um ser rastejante, odiento, malévolo, obstinado, obcecado com a existência humana, tarado pela promoção da desgraça na Terra...
O que Ele disse de tal criatura tinha a ver com sua natureza homicida, mentirosa, enganadora, opositora, divisora, e cheia de poder no mundo dos homens, ao ponto de dizer que o mundo dos homens é dele; do diabo.

Este poder me foi entregue; e o dou a quem eu quiser...” — disse o diabo a Jesus; e Jesus não disse que ele estava mentido, pois, o próprio Jesus viria a dizer: “Eis aí vem o [diabo] Príncipe deste mundo; e ele nada tem em mim”.
Jesus disse ainda que o Inferno era uma categoria posterior na criação, criada para o diabo e seus anjos... Portanto, com isto, Jesus dizia que para um humano ir para o inferno ele tem que virar decidida e voluntariamente um diabo.

Para Jesus o diabo poderia possuir tanto indivíduos como gerações inteiras... Poderia ainda se especializar em demonizar geografias políticas e culturais, como a Legião de demônios que possuíam o “gadareno”, e que pediam a Ele que não os mandasse para fora do país, da região...
É digno de nota que Jesus tenha expulsado demônios de muitos indivíduos na Galileia e alguns outros lugares, mas que tenha sido apenas no ambiente do Templo e da religião que Jesus tenha se referido a certas pessoas como “filhas do diabo”, sendo que elas eram as mais religiosas e orgulhosas de seu pedigree espiritual: descendentes de Abraão.

O fato é que até algumas possessões que pareciam ter elementos de disfunção neurológica ou mental, ainda assim Jesus não curou a mente de tais pessoas sem também mandar que o espírito imundo as deixasse.
Ora, isso me faz pensar que em quase todas as condições mentais que tiveram suas disfunções oriundas de traumas ou de episódios bem posteriores na vida [ou seja: não sendo mal congênito] — de um modo ou de outro os espíritos se aproveitam de tais baixas imunidades mentais a fim de agregar a sua agonia ao problema existente em razão da alma ter ficado magoada, abusada, humilhada ou raivosa...
Então alguém pergunta:

“Mas na Cruz Jesus não venceu os Principados e as Potestades expondo-os ao desprezo, conforme nos garante Paulo?”

Ora, a vitória de Jesus sobre o diabo é apenas para quem crê!
Quem não crê experimenta apenas o “limite” que ainda está imposto sobre o diabo, mas dentro de tal “limite” existe no diabo ainda poder suficiente para ser o príncipe deste mundo, e prova disso é o mundo em si, com todas as suas manifestações de insanidade infernal.
O diabo não pode me tocar, nada tem em mim, não por causa de mim, mas em razão do que Jesus fez por mim; e eu cri.
Sim, é apenas por isto que o maligno não me toca!

E mais: é também por isto que posso expulsa-lo em qualquer lugar; sim, o diabo e qualquer diabo ou demônio; pois Jesus, Jesus mesmo, não um arremedo de Jesus, não uma verdade de Jesus, não!..., mas Jesus mesmo, Ele, o Senhor, o Vitorioso, o Mais Valente; sim, Nele eu venço o diabo porque Jesus vive em mim; e Ele é a minha vitória!
Entretanto, isto é assim porque eu creio de todo o coração; e porque pela fé sei, vejo, sinto, e confio; e, além disso, porque vi muitas vezes e vejo tantas vezes quantas aconteçam, que Jesus é a minha vitória. Portanto, sem fanfarrice, mas apenas com confiança na fidelidade de Deus, não temo diabo algum e nem criatura espiritual alguma.

Entretanto, sei que para quem não crê assim todas as portas estão abertas, pois, o bicho perverso tem poder sobre este mundo!
Não estou nem um pouco preocupado com os intelectuais que me lerão e rirão...; nem com os teólogos do diabo simbólico que me julgarão “místico”...; nem com os filósofos que me ridicularizarão por não aceitarem a existência do diabo em razão de não gostarem da idéia maniqueísta de luta entre o bem e o mal...; nem ainda com os psiquiatras, psicólogos, neurocientistas, ou qualquer outro suposto mestre da mente ou do diabo... — que me julgarão simplista e obscurantista...
Não! Não é hora de pudores...

O diabo existe. E, no que me diz respeito, ele terá o mesmo tratamento que vi Jesus dar a ele...
De súbito outra vez meus olhos se abriram e estou vendo uma invasão de diabos no mundo...
As casas estão cheias de demônios...
Os casamentos estão sendo pastoreados pelos desejos de diabos nem sentidos, disfarçados de necessidades psicológicas e afetivas...
As emoções humanas então!... Meu Deus! Estão ficando possessas do mal...
Afinal, se o diabo além de mentiroso é homicida e vem para matar, roubar e destruir, conforme Jesus garantiu, por que se julgará que havendo oportunidade de enganar ele não o fará? De poder matar... e ele poupar a vida? De roubar e ele deixar isento e intacto? De conseguir destruir e ele preferir preservar?
Quem converteu o diabo?...

Ora, primeiro foi a religião cristã chamada “liberal”...; mas já o fez por cultuar a filosofia e a psicologia... ou a psiquiatria antiga...
Depois os que converteram o diabo foram esses que fizeram demônios se tornarem coadjuvantes de “exorcistas” em expulsões de bobagem... Sim, foi esse pessoal que ganha dinheiro com possessões fajutas [e que o diabo faz acontecer ou emula pela sugestão... apenas para que o “exorcista mercenário” não creia mais em diabo algum] — os que criaram essa atual descrença no diabo real entre as pessoas de bom senso; pois, “esse diabo de crente” é um chaveirinho de diabo, coisa mesmo de amuleto de culto cristão fetichista.
Eu, no entanto, não tenho nada a ver com isto!

Portanto, no que me diz respeito, deixo todos os pudores aqui, e, sem temor algum assumo que sou discípulo de Jesus também no modo como devo tratar o diabo em qualquer situação da vida.
Assim, sem discurso, mas com decisão, assumo para mim a Palavra de Jesus hoje, e que diz: “Eis que vos dei autoridade sobre serpentes e escorpiões, e sobre todo poder do maligno, e nada absolutamente vos causará dano”.

Continuo vendo todos os elementos psicológicos, psiquiátricos e neurológicos de muitos distúrbios humanos, mas, ao mesmo tempo, minhas suspeições acerca do oportunismo maligno em relação a tais coisas é grande; e mais: não apenas em relação a isto, mas a todas as formas de expressão de raiva, ódio, curiosidade mórbida, e ganância por poder, qualquer forma de poder ou de avidez por fama e importância, especialmente espiritual, me cheirará sempre a inhaca de diabo...

Nele, que tratou as coisas como as tratou e que não me deu outra receita,
Caio
4 de setembro de 2009
Lago Norte
Brasília
DF

Ainda assim vou orar.

Certamente todos nós aqui sabemos do valor da . É por isso que oramos. No entanto não é um exercício espiritual fácil de ser praticado. Temos os inimigos da : o cansaço físico, o sono, a preguiça mental, a dificuldade de concentração, os sons do mundo, as tarefas cotidianas, a falta de fé no que Deus pode fazer, etc. Não é fácil reservar tempo para , mas é preciso fazê-lo.
O texto de Daniel 6 nos apresenta um homem acostumado à (v. 10).

Por causa de sua comunhão com Deus e sua vida era íntegra (v. 4), e próspera (v. 2 e 3). A fim de derrotá-lo os seus inimigos resolveram atingi-lo no centro de sua força: na sua vida de . É preciso ver aqui a artimanha de Satanás, inimigo da . Ele sabe que a é a fonte de vigor espiritual dos filhos de Deus. Se o inimigo destruir a vida de de uma pessoa então ele não precisa fazer mais nada.
Se cada um de nós averiguar o tempo em que mais fracos estivemos espiritualmente; o tempo em que cedemos mais espaço ao pecado, concordaremos que foi em tempo de pouca ou nenhuma .
“Satanás balança o berço quando dormimos em nossas orações” – Joseph Hill.
Daniel entendeu, no entanto que mesmo que haja um imperativo para não orar; mesmo que orar signifique um sacrifício, Ele ainda assim iria orar. Nenhum homem é maior que a sua vida de e Daniel sabia disso.
Nós devemos orar mesmo que todas as forças, naturais e sobrenaturais, tentem nos desestimular. Ainda que com lutas devemos orar. Eis alguns motivos sugeridos pelo texto:
I – A ORAÇÃO NOS FAZ PESSOAS MELHORES
• Em Daniel havia um “espírito excelente” (v. 3).
• O nosso espírito se refina em contato com o espírito de Deus. Eles se comunicam:
“O próprio Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus” (Rm. 8:16).
O Espírito Santo auxilia o nosso espírito em (Rm. 8:26).
Essa comunhão deliciosa de nossa alma com a luz molda o nosso caráter. Daniel era de uma vida lindíssima (v. 4).
e vida santa são uma coisa só… A ausência de uma significa a ausência de outra” E. M. Bounds.
fará o homem parar de pecar, ou o pecado o seduzirá a parar de orar” – John Bunyan.
“Abandone o quarto secreto, e sua vida entrará em declínie” – Isaac Watts.
“Quem ora bem vive bem”. – M. Lutero.
Que o nosso caráter, seja moldado pela constância em e não por fatores externos.
II – A ORAÇÃO NOS FAZ CONFIAR MAIS NO SENHOR
O verso 10 nos mostra que Daniel teme mais a Deus do que aos homens: ainda assim vou orar, dizia ele. Ele confia no Senhor. Os reinos passam, pensava Ele, mas o Senhor é eterno. Quem ora mais confia mais no Senhor, assim como vamos confiando mais em uma pessoa após um tempo gasto com ela. Não confiamos em estranhos, mas em amigos. À medida em que oramos criamos uma amizade com Deus e aprendemos a confiar Nele. Paulo dizia: “Porque eu sei em quem tenho crido” (2 Tm. 1:12). À medida em que oramos mais a nossa fé aumenta também. Em um tempo em que tem se tornado comum os crentes procurarem auxílio terapêutico em profissionais, devemos redescobrir o segredo de depositar aos pés de Cristo o nosso fardo. Jesus nos convida a ir a Ele primeiramente, não aos homens (Mt. 11:28-30).
“O tempo gasto de joelhos em fará mais para remediar as dores do coração e a tensão nervosa de que qualquer outra coisa” – George D. Stewart.
Devemos neste momento refletir também sobre a benção que é orar por outra pessoa. A intercessão ajuda-nos a confiar, conjuntamente, no Senhor.
Quem orar com mais intensidade e constância terá mais vitória sobre as preocupações comuns (Fl. 4:6, 7).

III – A ORAÇÃO ATRAI O PODER DE DEUS
Daniel, por causa de sua vida de , está agora na cova dos Leões. Ele está em perigo de morte e não pode fazer nada. Todo o seu esforço agora é em vão (v. 16, 17).
Em algum tempo Deus parece não ouvir a nossa . Ou então achamos que Ele está demorando demais para agir. Em nossa limitação não entendemos o modo de Deus agir. No entanto a história tem demonstrado que quando Deus, na sua soberania, quer agir, nada lhe é impossível. Ele enviou os seus anjos a fechar a boca dos leões. O que para o Rei era um a possibilidade (v. 20) para Daniel era uma realidade.
Vejo tanto simbolismo entre estes “leões” citados por Daniel e o nosso adversário que ruge como leão procurando alguém para tragar (1 Pe. 5:8). Deus ainda fecha a boca dos leões. Jesus é o mais valente (Lc. 11:22). Os anjos ainda estão em ação (Hb. 1:4). O nosso pecado é que impede que Deus opere mais milagres em nossa vida (Is. 59:2). A é uma porta aberta para a ação de Deus. “Deus governa o mundo por meio das orações dos santos” – Andrew Murray.
CONCLUSÃO – Ainda que com dificuldades, com lutas, com fraqueza, aprendamos a orar. Que a seja para nós um hábito diário. Que experimentemos o poder de Deus através deste canal que é a . Que nos identifiquemos com o Senhor Jesus, que preferia a às multidões (Mt. 14:22, 23), que dava o melhor do seu tempo para estar com Deus. Desliguemos o rádio, a TV, o computador, o celular, entremos no lugar secreto e mantenhamos uma comunhão com Deus. Há recompensas (Mt. 5:6).

Ainda assim vou orarDANIEL 6:1-28Luiz César Nunes de Araujo
Certamente todos nós aqui sabemos do valor da . É por isso que oramos. No entanto não é um exercício espiritual fácil de ser praticado. Temos os inimigos da : o cansaço físico, o sono, a preguiça mental, a dificuldade de concentração, os sons do mundo, as tarefas cotidianas, a falta de fé no que Deus pode fazer, etc. Não é fácil reservar tempo para , mas é preciso fazê-lo.O texto de Daniel 6 nos apresenta um homem acostumado à (v. 10). Por causa de sua comunhão com Deus e sua vida era íntegra (v. 4), e próspera (v. 2 e 3). A fim de derrotá-lo os seus inimigos resolveram atingi-lo no centro de sua força: na sua vida de . É preciso ver aqui a artimanha de Satanás, inimigo da . Ele sabe que a é a fonte de vigor espiritual dos filhos de Deus. Se o inimigo destruir a vida de de uma pessoa então ele não precisa fazer mais nada.Se cada um de nós averiguar o tempo em que mais fracos estivemos espiritualmente; o tempo em que cedemos mais espaço ao pecado, concordaremos que foi em tempo de pouca ou nenhuma .“Satanás balança o berço quando dormimos em nossas orações” – Joseph Hill.Daniel entendeu, no entanto que mesmo que haja um imperativo para não orar; mesmo que orar signifique um sacrifício, Ele ainda assim iria orar. Nenhum homem é maior que a sua vida de e Daniel sabia disso.Nós devemos orar mesmo que todas as forças, naturais e sobrenaturais, tentem nos desestimular. Ainda que com lutas devemos orar. Eis alguns motivos sugeridos pelo texto:
I – A ORAÇÃO NOS FAZ PESSOAS MELHORES
• Em Daniel havia um “espírito excelente” (v. 3).• O nosso espírito se refina em contato com o espírito de Deus. Eles se comunicam:“O próprio Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus” (Rm. 8:16).O Espírito Santo auxilia o nosso espírito em (Rm. 8:26).Essa comunhão deliciosa de nossa alma com a luz molda o nosso caráter. Daniel era de uma vida lindíssima (v. 4).“ e vida santa são uma coisa só… A ausência de uma significa a ausência de outra” E. M. Bounds. “ fará o homem parar de pecar, ou o pecado o seduzirá a parar de orar” – John Bunyan.“Abandone o quarto secreto, e sua vida entrará em declínie” – Isaac Watts.“Quem ora bem vive bem”. – M. Lutero.Que o nosso caráter, seja moldado pela constância em e não por fatores externos.


II – A ORAÇÃO NOS FAZ CONFIAR MAIS NO SENHOR
O verso 10 nos mostra que Daniel teme mais a Deus do que aos homens: ainda assim vou orar, dizia ele. Ele confia no Senhor. Os reinos passam, pensava Ele, mas o Senhor é eterno. Quem ora mais confia mais no Senhor, assim como vamos confiando mais em uma pessoa após um tempo gasto com ela. Não confiamos em estranhos, mas em amigos. À medida em que oramos criamos uma amizade com Deus e aprendemos a confiar Nele. Paulo dizia: “Porque eu sei em quem tenho crido” (2 Tm. 1:12). À medida em que oramos mais a nossa fé aumenta também. Em um tempo em que tem se tornado comum os crentes procurarem auxílio terapêutico em profissionais, devemos redescobrir o segredo de depositar aos pés de Cristo o nosso fardo. Jesus nos convida a ir a Ele primeiramente, não aos homens (Mt. 11:28-30).“O tempo gasto de joelhos em fará mais para remediar as dores do coração e a tensão nervosa de que qualquer outra coisa” – George D. Stewart.Devemos neste momento refletir também sobre a benção que é orar por outra pessoa. A intercessão ajuda-nos a confiar, conjuntamente, no Senhor.Quem orar com mais intensidade e constância terá mais vitória sobre as preocupações comuns (Fl. 4:6, 7).


III – A ORAÇÃO ATRAI O PODER DE DEUS
Daniel, por causa de sua vida de , está agora na cova dos Leões. Ele está em perigo de morte e não pode fazer nada. Todo o seu esforço agora é em vão (v. 16, 17).Em algum tempo Deus parece não ouvir a nossa . Ou então achamos que Ele está demorando demais para agir. Em nossa limitação não entendemos o modo de Deus agir. No entanto a história tem demonstrado que quando Deus, na sua soberania, quer agir, nada lhe é impossível. Ele enviou os seus anjos a fechar a boca dos leões. O que para o Rei era um a possibilidade (v. 20) para Daniel era uma realidade.Vejo tanto simbolismo entre estes “leões” citados por Daniel e o nosso adversário que ruge como leão procurando alguém para tragar (1 Pe. 5:8). Deus ainda fecha a boca dos leões. Jesus é o mais valente (Lc. 11:22). Os anjos ainda estão em ação (Hb. 1:4). O nosso pecado é que impede que Deus opere mais milagres em nossa vida (Is. 59:2). A é uma porta aberta para a ação de Deus. “Deus governa o mundo por meio das orações dos santos” – Andrew Murray.


CONCLUSÃO – Ainda que com dificuldades, com lutas, com fraqueza, aprendamos a orar. Que a seja para nós um hábito diário. Que experimentemos o poder de Deus através deste canal que é a . Que nos identifiquemos com o Senhor Jesus, que preferia a às multidões (Mt. 14:22, 23), que dava o melhor do seu tempo para estar com Deus. Desliguemos o rádio, a TV, o computador, o celular, entremos no lugar secreto e mantenhamos uma comunhão com Deus. Há recompensas (Mt. 5:6).

Como é dificil seguir a Jesus Cristo.


Estava eu às 2 da madrugada sem sono, então, resolvi fazer o que o meu pastor me ensinou, “tá sem sono vá ler a Bíblia, pois é provável que a sua insônia seja Jesus querendo lhe dizer algo”, foi o que fiz. E a Palavra que me chamou a atenção e que vou discorrer neste texto está em Mateus 8,18-22 e diz o seguinte:


“Naquele tempo, vendo uma multidão ao seu redor, Jesus mandou passar para a outra margem do lago. Então um mestre da Lei aproximou-se e disse: “Mestre, eu te seguirei aonde quer que tu vás”. Jesus lhe respondeu: “As raposas têm suas tocas e as aves dos céus têm seus ninhos; mas o Filho do Homem não tem onde reclinar a cabeça”. Um outro dos discípulos disse a Jesus: “Senhor, permite-me que primeiro eu vá sepultar meu pai”. Mas Jesus lhe respondeu: “Segue-me, e deixa que os mortos sepultem os seus mortos”.

Neste texto bíblico vemos porque é tão difícil seguir a Jesus Cristo e seus mandamentos, ora, é tão difícil para nós humanos pecadores sermos fortes na Palavra e no caminhar com o Senhor, por fazer essa escolha levamos “pedradas” de tudo quanto é lado, temos que ouvir piadinhas, pessoas dizendo que somos loucos por acreditar num Deus invisível, que somos fanáticos e até que somos uma farsa, pois não fazemos o que pregamos.

E mesmo assim, estamos firmes, onde o Senhor vai nós vamos juntos, mas tem sempre aquela hora que a gente pensa se tudo isso vale mesmo a pena.

Quer saber?

Vale sim, vale muito a pena seguir a Jesus, mesmo sendo perseguidos, mesmo sendo humilhados, mesmo sendo tachados de loucos. E somos loucos sim, loucos pelo AMOR DE CRISTO.

Meu irmão e minha irmã, o Senhor não me deixou dormir esta noite para te dizer que atravesse para o outro lado do lago, mude de vida, faça um esforço, de repente esse lado do lago que você está hoje os frutos dos seus sonhos já se estragaram, o solo já não serve mais para você plantar suas sementes de vida e as árvores do bem já não dão mais sombra.

Atravesse o lago da incerteza, vá à outra margem e veja o quão é melhor o lugar que você vai conhecer.

Durante a travessia é claro que pode haver perigo, mas não fique preocupado em se afogar na tristeza, na dor, no sofrimento, na depressão, pois se isso começar a acontecer, o seu salva-vidas é JESUS CRISTO.

Siga a Jesus, pois ele estará do outro lado do lago te esperando, e o melhor, ele está te chamando, GLÓRIA A DEUS!

Para seguir a Jesus você precisa principalmente ter o desapego das coisas materiais, limpar da sua mente o passado de erros e seguir ao Senhor sem querer nada em troca.

Por isso ele cita que “o Filho do Homem não tem onde reclinar a cabeça”.

Pense na seguinte situação, você prefere seguir Jesus ou ter um travesseiro para reclinar sua cabeça confortavelmente? E Jesus, preferiu descansar ou salvar a sua vida na cruz?

O seguimento de Cristo nos tira das nossas raízes e nos desestrutura, por isso, nós somos obrigados a renunciar à nossa existência pacata, medíocre e acomodada.

Para nós também Jesus diz hoje: “segue-me e deixa que os mortos sepultem os seus mortos”.

Jesus nos chama para uma vida nova conformada aos Seus ensinamentos.

Seguir Jesus é viver conforme o Seu Evangelho, é viver o amor, é praticar o perdão, é não fazer questão por coisas que não têm valor diante de Deus.

Por isso, não podemos nos acomodar esperando novas oportunidades.

O que passou, passou, já morreu. Quem segue a Jesus não pode ter tempo e nem pensar em coisas sem importância, o chamado de Jesus não está no futuro. Mas sim no presente. O tempo é hoje e a hora é agora!

Tudo que eu escrevi aqui é para te dizer que Jesus te ama, ama incondicionalmente, Ele espera uma atitude sua, que você atravesse o lago, que não ligue para comodismos e que deixe o passado para trás.

Jesus quer que você tenha uma vida nova, renovada e te mostrar o quanto ele te ama.

No meu livro “Por que Jesus te ama?” eu mostro como isso acontece, porque, mesmo sendo falhos, o Senhor não abre mão de nós, eu te garanto que você vai descobrir coisas incríveis que ainda não sabia.

O livro já é um dos mais buscados no Google e está disponível no site www.leituragospel.com.

Até a próxima e que o Senhor possa ter falado com você nessa mensagem.

Jucélio Salvador

Jornalista, escritor e estudioso bíblico

Fé.

Qual é a definição de fé? A Bíblia diz em Hebreus 11:1 “Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que não se vêem.”
Jesus é a origem da fé. A Bíblia diz em Lucas 17:5 “Disseram então os apóstolos ao Senhor: Aumenta-nos a fé.” A Bíblia diz em Romanos 10:17 “Logo a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Cristo.”
A verdadeira fé é crer no que Cristo fez por nós. A Bíblia diz em Romanos 5:1 “Justificados, pois, pela fé, tenhamos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo.”
Fé é confiar em Deus para tudo. A Bíblia diz em Hebreus 10:38 “Mas o meu justo viverá da fé; e se ele recuar, a minha alma não tem prazer nele.”
Uma fé fraca pode-se tornar numa fé forte com a ajuda de Deus. A Bíblia diz em Marcos 9:24 “Imediatamente o pai do menino, clamando, [com lágrimas] disse: Creio! Ajuda a minha incredulidade.”

Perseverança.

Perseverança
A perseverança revela os crente genuínos. A Bíblia diz em Marcos 13:13 “E sereis odiados de todos por causa do meu nome; mas aquele que perseverar até o fim, esse será salvo.”

A perseverança revela fé genuína. A Bíblia diz em Hebreus 3:6 “Mas Cristo é como Filho sobre a casa de Deus; a qual casa somos nós, se tão-somente conservarmos firmes até o fim a nossa confiança e a glória da esperança.”
Àqueles que perseveram, Deus promete-lhes victória.

A Bíblia diz em Filipenses 3:13-14 “Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo pelo prêmio da vocação celestial de Deus em Cristo Jesus.”