Ha pessoas..






Há pessoas

Que querem ser bonitas
para chamar a atenção...

Outras desejam a inteligência
para serem admiradas...

Mas há algumas
que procuram cultivar a Alma
e os Sentimentos.

Essas
alcançam a admiração de todos,
porque além de Belas
e inteligentes
tornam-se realmente
PESSOAS!



Na foto, eu meu amigo Kiko e sua esposa Lourdes..amigos maravilhosos.

A ESSÊNCIA DA EVOLUÇÃO

Aquele murmúrio mental que ocorre ininterruptamente na cabeça de nossa humanidade anda se transformando em gritaria, invadindo o âmbito público e subvertendo aquela normalidade que, de fato, não existe mais há muito tempo.

Assim é que a humanidade mostra sua verdade interior, trai a si mesma através de atos falhos e de coincidências fortuitas que a deixam nu em praça pública. Quem tiver minimamente compreendido a oportunidade em marcha, que é a reinvenção da civilização, fará bom uso dessa circunstância, aparando as arestas de seus defeitos e indo além, transfigurando-os em virtudes.

Esta é a essência da evolução, tornar-se consciente de que os vícios são virtudes desencaminhadas e esforçando-se para redimi-los e colocá-los na trilha certa.
Você não precisa concordar com tudo que as outras pessoas dizem ou fazem, mas tampouco precisa manifestar sua discordância a todo momento, pois isso atrasaria o andamento de situações que não estão sob seu domínio.

Agora não seria um momento bom para você dar explicações. Melhor você demonstrar suas teorias dando o exemplo com seus gestos e desempenho. Antes que suas palavras se voltem contra você, arregace as mangas e trabalhe.

O VENENO AUTORITÁRIO.

O veneno do autoritarismo circula à solta em nossa civilização, que posa de moderna e sofisticada. Em muitos casos parece que aqueles que outrora lutaram ferozmente em nome da liberdade se identificaram tanto com seus captores que hoje sofreriam com o mal “Síndrome de Estocolmo”.

Hoje em dia flertam perigosamente com os labirintos da ilegalidade, seduzidos pelo poder que teriam ao seu dispor. Deve haver uma ponta de boa vontade em tudo isso, mas nada que limite a liberdade de expressão e pensamento de nossa humanidade pode levar a algum bom destino.

O veneno do autoritarismo é insidioso, aplicado lentamente, você deixa acontecer porque a cada nova inoculação você se convence de que amanhã será capaz de suportar mais e estará tudo bem.


Evite iludir-se com a perspectiva de levar uma vida normal e sossegada, porque esta idéia drenará a energia vital que você precisará, no futuro, para empreender a sagrada luta de opor-se ao autoritarismo.

O conhecimento não pode ser freado nem limitado, muito menos na época atual. Uma vez que sua alma dá de cara com certas informações, nada poderá ser feito para voltar ao patamar anterior, no qual nada era sabido.

Amizade e Amor

Perguntei a um sábio,
a diferença que havia
entre amor e amizade,
ele me disse essa verdade...
O Amor é mais sensível,
a Amizade mais segura.


O Amor nos dá asas,
a Amizade o chão.
No Amor há mais carinho,
na Amizade compreensão.
O Amor é plantado
e com carinho cultivado,
a Amizade vem faceira,
e com troca de alegria e tristeza,
torna-se uma grande e querida
companheira.
Mas quando o Amor é sincero
ele vem com um grande amigo,
e quando a Amizade é concreta,
ela é cheia de amor e carinho.
Quando se tem um amigo
ou uma grande paixão,
ambos sentimentos coexistem
dentro do seu coração.

William Shakespeare

Para que sua vida não desmorone.

Referindo-se ao Seu Sermão do Monte, o Senhor Jesus disse:

"Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica será comparado a um homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha; e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, que não caiu, porque fora edificada sobre a rocha. E todo aquele que ouve estas minhas palavras e não as pratica será comparado a um homem insensato que edificou a sua casa sobre a areia; e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, e ela desabou, sendo grande a sua ruína" (Mt 7.24-27).

Para que tudo não desabe (como no relato acima) é importante construir a própria vida sobre o fundamento certo, sobre a rocha, que é Cristo.


Naturalmente existem muitos argumentos em favor da areia. A praia é bonita, a paisagem é maravilhosa, dali vê-se o pôr-do-sol. Construindo na areia, é possível poupar muitos esforços e sacrifícios, tempo e dinheiro, pois não se precisa tanto material para construir na praia como se precisaria para construir sobre a rocha, talvez em terreno acidentado. É mais difícil construir uma casa sobre a rocha. Todo o material de construção precisa ser levado até o alto, e é fato conhecido que lançar um fundamento em uma rocha dura é bem mais complicado que na areia.
Muitos constroem a casa de suas vidas sobre a "areia" deste mundo. Tudo parece maravilhoso, as mais radiantes perspectivas delineiam-se diante dos olhos e segue-se "pelo caminho do menor esforço". Almeja-se uma vida agradável com alegrias e prazeres. Missões e organizações fundamentadas na Bíblias só atrapalham e estorvam, por isso são evitadas. Parece muito mais fácil construir uma casa conforme as próprias convicções e anseios, agradando a si mesmo e tentando alcançar o que se espera da vida. Difícil é, ao menos assim parece, construir sobre Jesus Cristo, sobre a Palavra de Deus. O caminho do arrependimento é penoso, a luta contra as tentações parece insuportável, e seguir a Jesus carregando a própria cruz parece quase impossível. Mas, para quem escolhe a areia, a queda já está programada e será infinitamente profunda. Quando vêm as tempestades da vida, a velhice, o sofrimento, o medo e a morte, chega também o desespero e toda a aparente segurança desmorona.
A Bíblia nos ensina que todas as coisas deste mundo passarão, que tudo o que é ímpio se assemelha à palha que o vento espalha. Mesmo países e impérios poderosos não perdurarão. Nada, absolutamente nada do que for construído sem Jesus terá valor permanente, tudo é efêmero e passageiro. Mas quem constrói sua vida sobre Jesus de uma maneira consciente, estará construindo sobre fundamento sólido, com seus pilares alicerçados na eternidade, fundamentados em Deus. Na vida da pessoa que constrói sobre a rocha, as alegrias não estão baseadas na aprovação dos homens, que já levou muitos à ruína. Verdadeira alegria e esperança real fundamentam-se no Senhor, em Sua obra consumada na cruz do Calvário, no perdão recebido ali e no dom da vida eterna. E então, quando o sofrimento e a dor baterem à porta, podemos ficar firmes e inabaláveis, pois o Senhor nos segura. Ele nos protege e jamais nos abandona. A Bíblia diz que nada pode nos separar de Seu amor e de Seu cuidado, que o Senhor nos guarda e no final nos receberá em Seu reino inabalável e eterno. Quem constrói sobre Jesus permanece por toda a eternidade!


Norbert Lieth

Faltou Luz? Com Jesus não falta.

 


Jesus, a Luz do Mundo 

Dispõe-te, resplandece, porque vem a tua luz, e a glória do Senhor nasce sobre ti. Porque eis que as trevas cobrem a terra, e a escuridão, os povos; mas sobre ti aparece resplendente o Senhor, e a sua glória se vê sobre ti” (Is 60.1-2).

A palavra “luz” é destacada pelo profeta Isaías. O que é a “luz”? Todos sabemos que a luz é a ausência de trevas, mas devemos entender que a questão aqui é a separação entre a luz e as trevas. Lemos já no início da Bíblia: “…e (Deus) fez separação entre a luz e as trevas” (Gn 1.4b). Deus não eliminou as trevas, Ele as separou da luz. Portanto, uma segunda palavra-chave que devemos lembrar é “separação”.
A vinda de Jesus significa exatamente isso: separação! Ou você crê e aceita que Jesus Cristo veio em carne, viveu uma vida sem pecado e sacrificou a si mesmo, derramando Seu sangue na cruz do Calvário pelos seus pecados, e que assim você tornou-se um filho da luz; ou você rejeita essa verdade eterna e continua sendo um filho das trevas.
O versículo inicial não diz apenas “eis que as trevas cobrem a terra”, mas prossegue: “e a escuridão, os povos”. Essa é a realidade em nosso mundo. Por exemplo, dificilmente podemos imaginar a terrível escuridão em que viviam os terroristas-suicidas islâmicos que seqüestraram os aviões de passageiros no dia 11 de setembro de 2001 e os lançaram contra edifícios ocupados por milhares de pessoas inocentes. Por que eles fizeram isso? Sem dúvida, eles estavam convencidos de que seu ato era justificado; para eles, essa era a coisa certa a fazer. Eles criam firmemente que, no momento da morte, seriam trasladados para a glória do paraíso. Entretanto, tal convicção religiosa não é baseada na verdade; ela tem seu fundamento na imaginação do coração maligno dos homens seduzidos pelas “trevas”.
As Escrituras, entretanto, não dizem que apenas as pessoas que cometem tais crimes horrendos vivem nas trevas, pois lemos: “…a escuridão [cobre] os povos”. Isso significa que todos os povos do mundo vivem em trevas.

A escuridão é algo terrível, porque ela impede que vejamos qualquer coisa. Por exemplo, se você entrar no porão de uma casa ou em outro lugar escuro durante a noite, sem dispor de uma luz, correrá sério perigo de se machucar. É isso que a Bíblia nos comunica: todas as pessoas na terra estão em sério perigo, não apenas em sua vida presente, mas também quanto à eternidade. Portanto, é extremamente importante que você se chegue à luz.
Quando Jesus, a luz do mundo, o Verbo (a Palavra) de Deus, fez-se carne e habitou entre nós, Ele ofereceu a luz a todos, dizendo: “Eu sou a luz do mundo” (Jo 8.12). João, porém, declarou: “E a luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam” (Jo 1.5, Ed. Revista e Corrigida). Por que as trevas não a compreendem? Encontramos a resposta para essa importante questão em João 3.19-20: “O julgamento é este: que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz; porque as suas obras eram más. Pois todo aquele que pratica o mal aborrece a luz e não se chega para a luz, a fim de não serem argüídas as suas obras”.

O nascimento de Cristo, ou seja, o Natal, somente pode tornar-se efetivo em sua vida, se você sair das trevas e vier para a luz. Sem isso, o Natal será apenas como uma peça teatral tradicional – na verdade, tola e comercial.
As palavras de Isaías 60.1-2 são dirigidas a Israel. A luz era e é Jesus Cristo, o Filho de Deus, o Messias de Israel e Salvador do mundo. A oferta da luz e da separação foi feita inicialmente aos judeus. Ela era destinada a Israel, que, entretanto, rejeitou a Jesus. Assim, Ele voltou-se para os gentios. Isso torna-se bem evidente no versículo 3: “As nações (os gentios) se encaminham para a tua luz…”  Portanto, as palavras do versículo 2b ainda aguardam seu cumprimento final: “mas sobre ti (Israel) aparece resplendente o Senhor, e a sua glória se vê sobre ti”. Isso ainda não ocorreu com Israel, de modo que deverá cumprir-se no futuro.
No mesmo capítulo, o profeta Isaías proclama: “Também virão a ti, inclinando-se, os filhos dos que te oprimiram; prostar-se-ão até às plantas dos teus pés todos os que te desdenharam e chamar-te-ão Cidade do Senhor, a Sião do Santo de Israel” (Is 60.14). Atualmente, acontece o contrário: Israel continua odiado e oprimido. Os árabes têm um só objetivo: a destruição do Estado judeu. Eles dizem que o sionismo deve ser eliminado. Entretanto, isso não acontecerá. No final, todos os povos chamarão Jerusalém de “Cidade do Senhor, a Sião do Santo de Israel”.
Finalmente, o profeta afirma: “Nunca mais se ouvirá de violência na tua terra, de desolação ou ruínas, nos teus limites…” (v. 18). Virá o tempo em que Israel será a nação dedicada ao Senhor, exatamente como está registrado nas Escrituras. Israel será um louvor a Deus em meio a todos os povos da terra. Somente então a verdadeira paz prevalecerá em todo o globo. O Príncipe da Paz governará “com cetro de ferro” (Ap 19.15) e não irá tolerar qualquer rebelião. Todos os povos estarão sujeitos à autoridade do Senhor dos senhores e Rei dos reis, Jesus, o Crucificado. Então, finalmente, Lucas 2.14 será uma realidade mundial: “…paz na terra entre os homens, a quem ele quer bem”.
Esse tipo de Natal continua inimaginável nos dias em que vivemos, porque o mundo inteiro jaz nas trevas. Entretanto, existe uma excessão: a paz interior individual e pessoal que você pode experimentar agora. Mesmo nestes tempos turbulentos, essa paz que “excede todo o entendimento” (veja Fp 4.7) está disponível para você. Tenha uma verdadeira experiência natalina neste ano! Jesus disse:
 
“Assim também agora vós tendes tristeza; mas outra vez vos verei; o vosso coração se alegrará, e a vossa alegria ninguém poderá tirar” (Jo 16.22).

Paz

Célio 

ENTRE O NADA E A ETERNIDADE.

ENTRE O NADA E A ETERNIDADE


A velhas formas da civilização serão extintas pela necessidade de utilizarmos padrões adaptados aos nossos íntimos requerimentos. Por isso, está tudo virado do avesso e sofremos por não termos ainda sequer compreendido direito o rumo que as coisas estão tomando, agregado ao fato de insistirmos em repetir os velhos padrões sem obter deles a satisfação ansiada. Entre o nada e a eternidade, assim será chamada no futuro esta época atual, porque o passado nada mais pode nos oferecer enquanto que o futuro, eterno, aparece de forma angustiante à nossa consciência. Contudo, uma alegria irrecusável surge do íntimo do coração a informar que tudo corre bem, muito bem. E vai tentar dormir à noite com um barulho desses na consciência!

É no seio dos assuntos domésticos que reside a solução dos grandes problemas. Nada mirabolante é necessário para que tudo funcione bem, apenas a harmonia dos relacionamentos próximos garantiria isso.

A alegria não pode ser fingida, é um sentimento absolutamente honesto e contagiante. Quando você se atreve a irradiar a alegria sentida no íntimo do coração, isso melhora todos os relacionamentos.

Nada pode ser absolutamente certo ou seguro, porque o futuro sempre guarda consigo uma boa dose de imprevisibilidade. Sem esta dose o espírito de aventura não faria sentido nenhum para nossa humanidade.

As pessoas não confiam umas nas outras nem em si mesmas tampouco, mas isso acontece porque elas assim o decidiram. As circunstâncias nunca provaram que desconfiar fosse mais seguro do que confiar. Nunca.

Obediência, o que a bíblia diz?


O melhor que podemos fazer pela nossa vida é obedecer a Deus. A Bíblia diz em Deuterenômio 30:15-16 “Vê que hoje te pus diante de ti a vida e o bem, a morte e o mal. Se guardares o mandamento que eu hoje te ordeno de amar ao Senhor teu Deus, de andar nos seus caminhos, e de guardar os seus mandamentos, os seus estatutos e os seus preceitos, então viverás, e te multiplicarás, e o Senhor teu Deus te abençoará na terra em que estás entrando para a possuíres.” Deuterenômio 10:12-13 “Agora, pois, ó Israel, que é que o Senhor teu Deus requer de ti, senão que temas o Senhor teu Deus, que andes em todos os seus caminhos, e o ames, e sirvas ao Senhor teu Deus de todo o teu coração e de toda a tua alma, que guardes os mandamentos do Senhor, e os seus estatutos, que eu hoje te ordeno para o teu bem?”
 

Que têm que ver umas com as outras a lei, a graça e a obediência? A Bíblia diz em Romanos 5:20 “Sobreveio, porém, a lei para que a ofensa abundasse; mas, onde o pecado abundou, superabundou a graça.”
A obediência pode livrar-nos de doenças. A Bíblia diz em Êxodo 15:26 “dizendo: Se ouvires atentamente a voz do Senhor teu Deus, e fizeres o que é reto diante de seus olhos, e inclinares os ouvidos aos seus mandamentos, e guardares todos os seus estatutos, sobre ti não enviarei nenhuma das enfermidades que enviei sobre os egípcios; porque eu sou o Senhor que te sara.”
 

A obediência é a chave para uma vida de sucesso. A Bíblia diz em Josué 1:8 “Não se aparte da tua boca o livro desta lei, antes medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme tudo quanto nele está escrito; porque então farás prosperar o teu caminho, e serás bem sucedido.”
Seremos avaliados em termos da nossa obediência aos mandamentos de Deus. A Bíblia diz em Mateus 5:19 “Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos céus.”
A obediência é um dos resultados de amar a Deus. A Bíblia diz em João 14:15, 23 “Se me amardes, guardareis os meus mandamentos. … Respondeu-lhe Jesus: Se alguém me amar, guardará a minha palavra; e meu Pai o amará, e viremos a ele, e faremos nele morada.”
 

O Espírito Santo só será dado àqueles que obedecem a Deus. A Bíblia diz em Atos 5:32 “E nós somos testemunhas destas coisas, e bem assim o Espírito Santo, que Deus deu àqueles que lhe obedecem.”
Jesus obedeceu ao Seu Pai dando-nos um exemplo de como devemos obedecer ao Senhor. A Bíblia diz em Hebreus 5:8-9 “Ainda que era Filho, aprendeu a obediência por meio daquilo que sofreu; e, tendo sido aperfeiçoado, veio a ser autor de eterna salvação para todos os que lhe obedecem.”
Deus aconselha-nos que obedeçamos às leis do nosso país. A Bíblia diz em Romanos 13:1-2 “Toda alma esteja sujeita às autoridades superiores; porque não há autoridade que não venha de Deus; e as que existem foram ordenadas por Deus. Por isso quem resiste à autoridade resiste à ordenação de Deus; e os que resistem trarão sobre si mesmos a condenação.”
 

Em certas ocasiões a obediência a Deus pode requerir a desobediência aos poderes terrestres. A Bíblia diz em Atos 5:29 “Respondendo Pedro e os apóstolos, disseram: Importa antes obedecer a Deus que aos homens.”
 

Os filhos devem obedecer e honrar os seus pais. A Bíblia diz em Efésios 6:1-3 “Vós, filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor, porque isto é justo. Honra a teu pai e a tua mãe (que é o primeiro mandamento com promessa), para que te vá bem, e sejas de longa vida sobre a terra.”

SEM AMOR NÃO HÁ DEUS!

Se amar fosse solução contra a dor, o desapontamento, a espera, a paciência e o sacrifício — não se diria que o amor tudo sofre, tudo crê e tudo suporta.

Afinal, o amor agüenta tudo porque jamais acaba.
Amar não é a solução da existência, mas da vida.

Na existência e para aqueles que apenas alimentam-se do conceito de existirem, o amor não é a solução, pois, no conceito de existência o mais importante é que não venha a doer.

Entretanto, quando se fala de vida, o amor é o único alimento que ela possui.
Sim! Sem amor a existência não tem vida!

Porém, quando o amor se impõe como fundamento da vida, então, toda dor de amor é alegre, pois, para quem de fato ama basta a recompensa de amar.

É assim com Deus, que é amor, e, para Quem, amar é a “recompensa de Deus”.
Recompensa de Deus?

Sim! Deus é amor e se mantém como amor, pois, no dia em que Deus não mais for amor, já não será Deus.

Deus é amor. Se deixar de ser amor deixa de ser Deus!
Portanto, se Ele deixar de amar eu deixo de existir.

Todavia, para fins práticos, a morte do amor entre os homens é a morte de Deus.

Quem ama tem Deus. Quem não ama não tem Deus!

O mais é texto...


Caio Fábio



Igreja de Satanás?

Recebi a seguinte mensagem por e-mail

IGREJA DE SATANÁS INICIA DIVULGAÇÃO

LEIA E REPASSE AO MAIOR NÚMERO DE CRISTÃOS QUE VOCÊ CONHECE!!!



O Dono da Companhia Procter & Gamble apareceu no programa de
Phil Donahue, de grande tele-audiência nos Estados Unidos.
Nesse programa anunciou que, dado à abertura de hoje em nossa sociedade, havia decidido sair do esconderijo e reconhecer publicamente a sua associação com a igreja de satanás.
Ele admitiu que uma grande parte dos lucros da venda dos produtos de
sua empresa se destina à ajuda e manutenção de sua igreja satânica.

Quando o entrevistador, Phil Donahue, lhe perguntou se não temia que ao admitir em TV nacional a sua associação com satanás, poderia prejudicar os lucros da empresa, ele respondeu:


'NÃO HÁ CRISTÃOS SUFICIENTES NOS ESTADOS UNIDOS OU NO MUNDO QUE POSSAM ME PREJUDICAR, MUITO MENOS CAUSAR UM MÍNIMO DANO'


Demonstremos a esse altivo senhor e ao mundo, que há sim, cristãos suficientes e que podemos colaborar para acabar com sua companhia que serve à satanás.Não usemos nenhum produto da Procter & Gamble e avisemos a todos os cristão, eis a lista de alguns produtos:

          Sabão em pó:Ariel 
          Alimentos:Batatas Fritas Pringles
          Fraldas Descartáveis: Pampers
          Produtos Para Lavagem De Roupa A Seco: Dryel P & G
          Produtos Para Cabelo: Shampoo Pantene ; Pertplus
         Medicamentos: VICK


Se não tiver certeza de que o produto que está usando é desta companhia, procure o nome da companhia ou o símbolo que passou a identificá-los a partir de abril de1999, é o número 666, conhecido como número da besta, antes era uma lua nova.
Vamos demonstrar ao dono da Procter & Gamble que há cristãos mais do que presentes para causar prejuízo à sua empresa, e até mais, para fechar sua empresa.


Lembre-se que cada vez que você adquirir um desses produtos,
está dando contribuição à igreja de satanás.


Façam cópias deste, e distribuamos para todos, em todo mundo,

para Honra e Glória daquele que está acima  de todos os nomes,


         JESUS CRISTO.


        Deus o abençoe e lhe proteja!



Nota: O maior trunfo do mal (satanás) é simplesmente pelo fato de muitos não crerem na sua existência e no que ele pode fazer.

Respeito.



Independentemente de crença, de raça, de sexo, de posição social, de condição econômico-financeira, de cultura, e até mesmo de idade, em verdade, todo ser humano merece respeito.



Lamentavelmente, nem sempre tem sido assim, uma vez que continuam a prevalecer em nosso meio, em nosso planeta Terra, o orgulho e o egoísmo, sem dúvida alguma as duas maiores chagas da Humanidade.

Recorrendo ao dia-a-dia, desde logo veremos como ainda é forte a presença do egoísmo e, por conseguinte, da falta de respeito ao semelhante.
Com efeito, para exemplificar, quando furamos a fila, seja do que for, estamos partindo do pressuposto de que o nosso tempo é mais importante do que o dos outros, que chegaram antes, e sobretudo estamos agindo em completo desrespeito às mais comezinhas regras de convivência em coletividade, ainda que não escritas.
De igual modo, se vamos a um teatro assistir a uma palestra e, além do lugar que ocupamos, colocamos qualquer objeto no assento ao lado com o intuito de guardá-lo para um amigo que está atrasado, evidentemente estaremos nos comportando com reprochável egoísmo, em detrimento de outras pessoas, que já chegaram àquele auditório, mas que não podem se utilizar dos assentos porque já estão "ocupados". Egoísmo e falta de respeito.
São milhares os exemplos, que estão ao nosso derredor, de egoísmo e de orgulho, assim como de sua filha predileta, a vaidade.
E é facílimo concluir que todos querem ser respeitados, tanto assim que o brocardo popular diz que "respeito é bom e eu gosto". Todos gostam.
Se assim é, de todo conveniente que perguntemos: o que será preciso fazer para introduzir o respeito entre nós, de modo generalizado?
Pensamos ser indispensável que cada um enxergue no próximo um irmão e faça a ele o que gostaria que ele lhe fizesse, respeitando-o sempre, quaisquer que sejam as circunstâncias, os fatos e a situação.
Será excelente se conseguirmos nos colocar com exatidão no lugar do outro, procurando pensar como ele, em melhores condições de entendimento, portanto, particularmente no que tange ao modo como desejaríamos ser tratados.
É claro que esse aprendizado é lento e há de ser alcançado de maneira gradual, com o emprego de nossa vontade férrea de acertar e com os formidáveis recursos da disciplina e da determinação para alcançar esse desiderato.
Mas, que não percamos de vista, não há nenhuma razão para desânimo, uma vez que a própria Natureza não dá saltos, de maneira que tudo se consegue devagar, devagarinho, a pouco e pouco.
É importante, importantíssimo, assim, que cada um faça a sua parte e faça-a bem, com o máximo de esmero, com o que estará prestando notável contributo para a harmonia e para o equilíbrio das relações humanas!

E o respeito começa em nós, em nossa intimidade, sendo necessário respeitar-se para respeitar a outrem, razão pela qual uma das bandeiras do Espiritismo é a reforma íntima, para melhor, buscando-se transformar quanto possível o homem-velho que insiste em prevalecer em nossas atitudes e decisões.

O respeito há de ser geral, respeito à própria vida e à sua preservação, respeito à Natureza, respeito aos animais, aos vegetais e aos minerais, mas, sobretudo, respeito ao homem, essa complexa criatura de Deus, que um dia atingirá a perfeição relativa e a felicidade suprema, destino final de todos os seres humanos.

Todos aspiramos ser respeitados. Respeito é bom, é ótimo, e dele todos nós gostamos. Está em nossas mãos obtê-lo. Em nosso próprio benefício, assumamos um auto-compromisso: a partir de agora, deste exato instante, procuraremos agir com respeito, com profundo respeito, com respeito sempre!

A Saudade não tem braços, mas aperta.



"Saudade é um pouco como fome. Só passa quando se come a presença. Mas às vezes a saudade é tão profunda que a presença é pouco: quer-se absorver a outra pessoa toda. Essa vontade de um ser o outro para uma unificação inteira é um dos sentimentos mais urgentes que se tem na vida.

Clarice Lispector 




Poema - Receita do Amor

Receita do amor


 "Amor não é se envolver com a pessoa perfeita,
aquela dos nossos sonhos.
 

Não existem príncipes nem princesas.
 

Encare a outra pessoa de forma sincera e real, exaltando suas qualidades, mas sabendo também de seus defeitos.
O amor só é lindo, quando encontramos alguém que nos transforme no melhor que podemos ser.


Autor desconhecido.

O Deserto Necessário.

Meu Deus, por que me abandonas?, Por que tanto sofrimento? Por que?

É assim que você ora? Sua vida estancou ou, você não se sente em paz para sorrir, pior, você sente que regrediu? Você se pergunta o que teria feito para desagradar a Deus e tê-lo perdido de vista?

Quem sabe não é bem assim... O que você não sabe é que chegou ao deserto!
Não perca de vista o propósito do deserto para você. Você não foi rejeitado(a), mas Deus achou um jeito de aperfeiçoar a sua vida.
Ele colocou você na mesma estrada na qual caminharam os patriarcas e profetas... eles pavimentaram a estrada que leva ao mover de Deus.
Deus vai com você pro deserto, e quer que você evolua, aprenda e saia vitorioso(a) de lá.
O deserto não é permanente, mas, sim, transitório: “O choro pode durar uma noite; pela manhã, porém, vem o cântico de júbilo.” (Salmos. 30: 5)
A provação gera conquistas e novas experiências com Deus. A vida no deserto é um período que todos temos de passar se quisermos viver em íntima comunhão com Deus.
Deus não nos livra do deserto, nos ensina nele e nos ajuda a atravessá-lo, para que saiamos vitoriosos dele.

REFLEXÃO:

Ás vezes nos queixamos tanto da vida, dos problemas e choramos.
E muitas vezes chegamos a dizer; Porque Deus se afastou de mim.. mas na verdade assim como para preparamos um bolo colocando os ingredientes no liquidificador para misturar.

Assim Deus quer em nossa vida, Ele quer pegar as nossa lágrimas, dores orações, todos os nosso sofrimentos e colocar e um liquidificador e preparar uma grande bênção para nós.

Confie em Deus.

Bjão

Célio

A mulher perfeita.

A mulher perfeita.
  
Um homem saiu pelo mundo à procura da mulher perfeita. Depois de dez anos de busca, resolveu voltar à sua aldeia. Seu melhor amigo lhe pergunta:
- Encontrou a mulher perfeita em suas andanças?
O homem responde:
- Ao sul, encontrei uma mulher linda. Seus olhos pareciam duas pérolas, seu cabelo era da cor da asa da graúna, seu corpo era lindo como o de uma deusa.
O amigo, entusiasmado, diz:
Onde está sua esposa?
- Infelizmente, ele não era perfeita, pois era muito pobre...
Fui para o norte e encontrei uma mulher que era a mais rica da cidade. Não tinha nem noção do poder e do dinheiro que tinha.
O amigo:
- Então, essa era perfeita?
- Não – respondeu o homem. – O problema é que nunca vi criatura mais feia em toda minha vida... Mas, finalmente, no sudeste, conheci uma mulher linda. Sua beleza era de ofuscar os olhos, tinha muito dinheiro, era perfeita.
- Então, você se casou com ela, não é, amigo?
- Não, porque, infelizmente, ela também procurava o homem perfeito.
 

Alexandre Rangel
(As mais belas parábolas de todos os tempos, ed. Leitura)

Sorria, tende bom ânimo.





Sorrir melhora a auto-estima





“Olha o tamanho desses dentes! Que cabeça feia! Parece que você está de lado! Tá de neném, é?”. Essas falas extraídas da peça Donzelos Anônimos retrata, de forma cômica, a vida de quatro jovens que estão à procura de mulheres. Eles evidenciam fatores estéticos que se tornam empecilhos pra realização de conquistas. Entretanto, conseguem superar seus problemas ao fazer uma autocritica com risos.



Estudo publicado no Jornal British Medical de Londres, realizado pelo Centro Internacional para Saúde e Sociedade, em 2003, apontou que 1/3 da população mundial sofre de um distúrbio conhecido como baixa auto-estima. Ela faz com que o indivíduo não tenha a capacidade de confiar em si próprio, apresentando, em seu estado psicológico, ansiedade, medo de correr riscos, depressão e fobias, tendo uma maior probabilidade de desencadear doenças como depressão, obesidade e ataques cardíacos.



A Psicóloga e Psicoterapeuta, Olga Inês Tessari, aborda que esse distúrbio acontece sempre que a pessoa começa a super valorizar as outras pessoas em detrimento de si mesma, quando julga que os outros são melhores do que ela, quando ela se sente diminuída ou inferiorizada diante dos outros. “Rir de si mesmo, faz com que os indivíduos façam uma auto avaliação, impossibilitando que sofram de algum distúrbio de comportamento”, diz.



A Psicóloga analisa que dificilmente um individuo consegue fazer uma auto analise sozinho e por isso que para muitos o acompanhamento psicológico é o mais indicado. Ela aborda que a baixa auto-estima pode gerar problemas de relacionamento, de conduta, que não existe idade específica para o seu surgimento.



Pessoas que sofrem desse distúrbio costumam ser ansiosas, tem medo de errar, preocupam-se muito com a opinião dos outros, sentem-se inferiorizadas diante de outras pessoas o que pode gerar isolamento, dificuldade nas relações profissionais, afetivas, de amizade, enfim, em todos os âmbitos da vida. A longo prazo, elas podem desenvolver síndrome do pânico e/ou depressão por causa de sua ansiedade elevada, além de ter problemas de saúde tais como hipertensão arterial, problemas cardíacos, problemas digestivos, alergias, etc...



Na peça, os jovens mesmo apresentando dificuldades para conseguir se relacionar com mulheres, conseguem se auto valorizar, mostrando-se descontraídos e de bem com a vida, apesar deles próprios fazerem uma autocrítica muito acentuada, .

A Psicóloga explica que há várias formas de se elevar a auto estima e todas elas passam por um auto conhecimento. Ela afirma que a melhor forma de se fazer isso é através do acompanhamento psicológico, para não trazer mais sofrimento e/ou problemas na vida da pessoa porque, muitas vezes, nesta busca do auto conhecimento ela pode piorar ainda mais o problema. “É preciso conhecer-se melhor e perceber os fatores que levam a pessoa a diminuir a sua valorização e aprender a elevá-la”, diz.

Como está escrito:  

“Tenho-vos dito isso, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo; eu venci o mundo.” JOÃO 16:33 

Bjão 
Célio

A dor do amor.

 
 
A DOR DO AMOR

É uma dor que não dói,
Melhor seria dizer, corrói.
É uma dor que arrasa,
Deixa o coração em brasa.

Abrasa de tanto pensar;
As vezes chega a amargar;
Espreme ao ponto de o coração esmagar;
As vezes imagina-se que fosse melhor não AMAR.

O amor verdadeiro quando menos se espera acontece.
O ser humano perece, emagrece;
O deixa calado, entristece.

Não se consegue evitar, aborrece.
Mas, apesar de tudo;
A M A R... e n o b r e c e.
 
Don Cuervo

Não se desespere! Há tempo para tudo




Ao homem cabe planejar, e a Deus a resposta dar


"O coração do homem pode fazer planos, mas a resposta certa dos lábios, vem do Senhor" (Provérbios 16.1)
A paternidade /maternidade é uma carreira para a qual nem todos estão preparados. Talvez a razão de tanta gente falhar em ser pai e mãe deva-se ao fato de insistirem em possuir e não em dirigir os filhos. Dizemos que são "nossos", mas a Palavra de Deus diz que eles não nos pertencem.
Quando o namoro está firme, se transformando em noivado, já é tempo de o casal começar a planejar a família que gostariam de ter.
Deixe-me compartilhar algumas considerações que considero importantes a quem planeja ter filhos:
- Estabelecer planos em longo prazo para a vida de casados:
  • Vocês têm aspirações profissionais? Como os filhos se encaixam nelas? Será preciso adequá-las?
  • Quantos filhos gostariam de ter? Os dois concordam com o número?

  • Ter filhos ocasionará alguma mudança drástica em seu estilo e/ou padrão de vida? Como?

  • Que outras alterações os filhos podem vir a causar em um casamento?

  • Vocês já conversaram sobre o tipo de disciplina e os suportes emocionais e espirituais que pretendem dar a seus filhos?
Estas são apenas algumas perguntas que podem servir de trampolim para que o casal converse e discuta o assunto "filhos". Felizmente os pais têm (em sua grande maioria) nove meses para se adequar. Eles podem usar esse período para se preparar emocional, mental, espiritual e até financeiramente para o aumento da família. Vamos conversar um pouco sobre este assunto. Para começar vamos ver alguns pontos importantes:
A.    O que a Bíblia diz sobre filhos?
Os filhos são bênçãos do Senhor (Salmos 127.3). No Antigo Testamento eles eram, desde pequenos, treinados no ofício dos pais e os ajudavam. Além disso, carregavam o nome da família e o transmitiam aos filhos que, com zelo, faziam o mesmo. Depois, quando os pais ficavam muito velhos eles assumiam seus ofícios e os sustentavam inteiramente.
Vemos também, na Bíblia, algumas passagens em que casais sem filhos chegaram a tomar atitudes extremas para tê-los. Esse foi o caso de Sara que "empurrou" seu marido para que tivesse filhos com sua serva, por achar que Deus estava demorando demais para responder sua oração e dar-lhes filhos (Gênesis 16.2).
Ana, também, caiu em profunda depressão por não poder ter filhos. Ela jejuou e orou desesperadamente por muitos anos. Finalmente fez um trato com Deus: se tivesse um filho o dedicaria a Ele (1 Samuel 1).
Nos dias de hoje, na maioria das culturas, os filhos não são mais aguardados com vias a ajudar no sustento da casa. Muito pelo contrário, eles representam custo e despesas extras e altas. Apesar disso, muitas são as famílias que desejam-nos ardentemente e, na impossibilidade de tê-los, tomam as mais radicais medidas para consegui-los. Até mulheres profissionais que antes de se casar apregoavam não querer ter filhos, por volta dos trinta e poucos anos mudam de idéia.
Há pessoas que nos surpreendem. São super organizadas em sua vida profissional fazendo o tempo render e obtendo resultados expressivos. Por essa facilidade de gerenciamento era de se esperar que, em nível pessoal, utilizassem o mesmo padrão.  No entanto, suas vidas particulares são desorganizadas. Não planejam a vida familiar, não param para analisar quantos filhos gostariam de ter, como educá-los, nada...
Simplesmente "ficam grávidos", ou não, dependendo da época fértil da mulher. E os filhos vão crescendo de qualquer jeito, sem muito cuidado, carinho ou atenção específica.
B- Como os filhos podem afetar o casamento?
Ser pai é uma imensa responsabilidade. A Bíblia nos orienta a ensinar, diligentemente, a Palavra de Deus a nossos filhos (Deuteronômio 6.6-7), a criá-los nos caminhos do Senhor (Provérbios 22.6), a discipliná-los adequadamente (Hebreus 12.7-11) e a não nos tornarmos motivos deles tropeçarem (Mateus 18.6).
Como pais tentamos passar os valores que consideramos importantes para a construção de caráter de nossos filhos, o que torna mais doloroso ter de discipliná-los, educá-los e mesmo assim vê-los se afastar de nós atrás de outros valores. E é nesse ponto, pai, que Deus desenvolverá em nós paciência e aumentará nossa capacidade de perdoar. E isso será um simples reflexo da graça e misericórdia que o próprio Deus tem para nós (Salmos 103.11-14).
Uma das perguntas que mais recebemos em nossos seminários para a família é: "Todos os casais devem, necessariamente, ter filhos?" Creio que entre os dons que Deus nos deu, um dos mais preciosos é a capacidade de trazer vida a este mundo. No entanto, isso não significa que todos devam ter filhos, pois inclusive, nem todos podem tê-los.
C- Estamos dispostos a pagar o preço de aumentar a família?
É muito importante saber o que leva um casal a querer filhos, pois motivos errados suscitam formas inadequadas de criá-los.
1.       Primeiramente, se você está querendo um filho para tentar salvar seu casamento, não faça isso! Essa atitude pode simplesmente virar um "tiro pela culatra" e em vez de cooperar com o casal pode vir a prejudicá-lo.
2.  Em segundo lugar não tenha filhos para se realizar através deles, levando-os a ter uma vida sufocada por suas exigências. É natural que os pais se alegrem com as vitórias e se entristeçam com as derrotas, mas sem tentar viver através deles.
3.  Em terceiro lugar, não procure ter filhos simplesmente para agitar uma vida entediante. Filhos não são brinquedos nem jogos.
4.  Por outro lado, os filhos podem enriquecer as nossas vidas das mais variadas formas, se vierem pelas razões adequadas.
Com tudo isso a curiosidade está grande, não é? Bom, infelizmente, devo colocar que não há motivações 100% puras e corretas. Nenhuma é absolutamente perfeita, como nós também não o somos. Creio, no entanto, que há dois princípios básicos que devem guiar nossos pensamentos:
PRINCÍPIO 1
Considerem ter filhos se você e sua esposa desejarem ardentemente estender o seu amor para criar uma terceira pessoa que seja parte de ambos. Gênesis 1.28 diz que devemos "ser frutíferos e encher a terra".
PRINCÍPIO 2
Considerem ter filhos se o seu amor por uma criança transbordar, seja ela filho natural ou adotivo.
Quando nos tornamos pais continuamos a ser pessoas com vida própria, a ter necessidades que não serão totalmente satisfeitas pelo fato de termos gerado e criado filhos. O casal deve se lembrar de que começou em dois e, se a vida seguir o curso normal, também terminará nos dois.
"Curta" os filhos, mas nunca se esqueça de continuar a investir no relacionamento com o seu cônjuge. É neste ponto que muitos casais "pecam" e acabam até se separando. Se o casal não tiver conhecimento desse fato e do risco que corre a tendência normal será de centralizar as atenções nos filhos e relegar o cônjuge.
Creio que seja uma boa medida que o casal planeje aumentar a família depois de já ter dado um tempo razoável para se conhecer melhor e  se ajustar.
Os bebês, por serem totalmente dependentes, levam os pais a um grande desgaste. E aquela coisinha fofa implica em mais do que simples atenção: requer planejamento de educação. Os pais precisam conversar para partir do mesmo ponto e caminhar lado a lado. Disciplina deve fazer parte de uma educação eficaz e os pais devem começar disciplinando-se a si próprios no que se refere a utilizar a mesma forma de correção.
É muito importante essa fase de planejamento antes da chegada dos filhos. Pais conscientes das adaptações necessárias e que estão dispostos a cooperar entre si, já sentem o estresse da fase. Dá, então, para calcular o nível de desgaste de um aumento inesperado da família!
Há príncipes virando sapos e princesas virando bruxas por ocasião da chegada de um bebê. Essas situações podem ser suavizadas quando o casal está consciente do preço a ser pago, inclusive, o financeiro. Por tudo isso reforço a importância do planejamento!
Há casais que já tendo vários filhos do mesmo sexo decidem arriscar mais e vão tentando, tentando até que chegue o tão esperado menino, ou menina. Os pais têm condição de sustentar uma família grande? Curtem cada um dos filhos? Que Deus os abençoe e à sua prole!
Acima de tudo que Deus dê aos casais a firmeza e a união entre si, enquanto a família aumenta!
Jaime Kemp é  doutor em ministério familiar e diretor da Sociedade Religiosa Lar Cristão. Foi missionário da Sepal por 31 anos e fundador da missão Vencedores Por Cristo. É palestrante internacional e autor de 43 livros. Casado com Judith é pai de 3 filhas e avô de 2 netos.


Fonte:Lar Cristão

O amor em estado bruto, e o amor verdadeiro.


O que é o que é?
Faz você ter olhos para uma única pessoa,
faz você não precisar mais sair sozinho,
faz você querer trocar de sobrenome,
faz você querer morar sob o mesmo teto?

Errou. Não é amor.

Todo mundo se pergunta o que é o amor.
Há quem diga que ele nem existe, que é na verdade uma necessidade supérflua criada por um estupendo planejamento de marketing:
desde crianças somos condicionados a eleger um príncipe ou princesa e com eles viver até que a morte nos separe.

Assim, a sociedade se organiza, a economia prospera e o mundo não foge do controle.
O parágrafo anterior responde o primeiro.

Não é amor querer fundir uma vida com outra.
Isso se chama associação: duas pessoas com metas comuns escolhem viver juntas para executar um projeto único, que quase sempre é o de constituir família.

Absolutamente legítimo, e o amor pode estar incluído no pacote.
Mas não é isso que define o amor. Seguramente, o amor existe.
Mas, por não termos vontade ou capacidade para questionar certas convenções estabelecidas, acreditamos que dar amor a alguém é entregar a essa pessoa nossa vida.

Não só nosso eu tangível, mas entregar também nosso tempo, nosso pensamento, nossas fantasias, nossa libido, nossa energia: tudo o que não se pode pegar com as mãos, mas se pode tentar capturar através da possessão.

O amor em estado bruto, o amor 100% puro, o amor desvinculado das regras sociais é o amor mais absoluto e o que maior felicidade deveria proporcionar.

Não proporciona porque exigimos que ele venha com certificado de garantia, atestado de bons antecedentes e comprovante de renda e de residência.

Queremos um amor ficha-limpa para que possamos contratá-lo para um cargo vitalício.
Não nos agrada a idéia de um amor solteiro.
Tratamos rapidamente de compromete-lo, não com nosso amor, mas com nossas projeções.

O amor, na essência, necessita de apenas três aditivos:
correspondência, desejo físico e felicidade.

Se alguém retribui seu sentimento,
se o sexo é vigoroso e se ambos se sentem felizes na companhia um do outro,
nada mais deveria importar:
Não deveria importar se o outro gosta de fazer algumas coisas sozinho,
se o outro tem preferências diferentes da suas,
se o outro é mais moço ou mais velho, bonito ou feio,
se vive em outro país ou no mesmo apartamento quantas vezes telefona por dia.

Tempo, pensamento, fantasia, libido e energia são solteiros e morrerão solteiros,
mesmo contra nossa vontade.

Não podemos lutar contra a independência das coisas.
Alianças de ouro e demais rituais de matrimônio não nos casam ...

O amor é e sempre será autônomo.
Fácil de escrever, bonito de imaginar, porém, dificilmente, realizável.

Não é assim que estruturamos a sociedade.
Amor se captura, se domestica e se guarda em casa.
Às vezes forçamos sua estada e quase sempre entregamos a ele os direitos autorais de nossa existência e quando o perdemos, sofremos.

Melhor nem pensar na possibilidade de que poderíamos sofrer menos.


Nota:
Sobre o que é o verdadeiro amor, eu ainda continuo com o texto biblíco de I Cor. Cap. 13

..O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece.
Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal;
Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade;
Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta....

Sinto vergonha de mim..atualíssimo.



Sinto vergonha de mim
por ter sido educador de parte desse povo,
por ter batalhado sempre pela justiça,
por compactuar com a honestidade,
por primar pela verdade
e por ver este povo já chamado varonil
enveredar pelo caminho da desonra.

Sinto vergonha de mim
por ter feito parte de uma era
que lutou pela democracia,
pela liberdade de ser
e ter que entregar aos meus filhos,
simples e abominavelmente,
a derrota das virtudes pelos vícios,
a ausência da sensatez
no julgamento da verdade,
a negligência com a família,
célula-mater da sociedade,
a demasiada preocupação
com o "eu" feliz a qualquer custo,
buscando a tal "felicidade"
em caminhos eivados de desrespeito
para com o seu próximo.

Tenho vergonha de mim
pela passividade em ouvir,
sem despejar meu verbo,
a tantas desculpas ditadas
pelo orgulho e vaidade,
a tanta falta de humildade
para reconhecer um erro cometido,
a tantos "floreios" para justificar
atos criminosos,
a tanta relutância
em esquecer a antiga posição
de sempre "contestar",
voltar atrás
e mudar o futuro.

Tenho vergonha de mim
pois faço parte de um povo que não reconheço,
enveredando por caminhos
que não quero percorrer...

Tenho vergonha da minha impotência,
da minha falta de garra,
das minhas desilusões
e do meu cansaço.
Não tenho para onde ir
pois amo este meu chão,
vibro ao ouvir meu Hino
e jamais usei a minha Bandeira
para enxugar o meu suor
ou enrolar meu corpo
na pecaminosa manifestação de nacionalidade.

Ao lado da vergonha de mim,
tenho tanta pena de ti,
povo brasileiro!

***
"De tanto ver triunfar as nulidades,
de tanto ver prosperar a desonra,
de tanto ver crescer a injustiça,
de tanto ver agigantarem-se os poderes
nas mãos dos maus,
o homem chega a desanimar da virtude,
a rir-se da honra,
a ter vergonha de ser honesto".

(Rui Barbosa)